Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Visite a página do Yoga de Leiria

http://www.yogadeleiria.pt/


O rei e o vizir

por Yoga Leiria, em 15.02.09

Num lugar longínquo havia um vizir, uma pessoa muito sábia, que tinha o papel de fazer justiça no palácio real. Era um homem muito procurado por todos pela fama da sua sabedoria. Uma das frases que ele mais usava era: ”Se calhar, isso aconteceu para o seu bem!” Um dia, o rei perdeu um dedo num acidente. Ficou muito aflito e foi procurar consolo junto do vizir. Depois de se lamentar, o vizir disse-lhe: “Vossa Majestade, se calhar, isso aconteceu para o seu bem!” O rei não esperava nada daquilo, gostaria de ouvir algo como “tem razão para ficar triste, coitado” e ficou zangadíssimo. A sua cólera era tanta que o mandou prender nas masmorras do reino. Passaram-se algumas semanas e o vizir preso a pão e água. Um dia, o rei foi a uma caçada e, no meio da floresta, ele e os seus servidores foram aprisionados por uma tribo de canibais. Mataram imediatamente todos os criados e levaram o rei para a aldeia. Como era o mais nobre de todos, seria oferecido às divindades. Começaram os preparativos. Aqueceram a água e preparavam-se para lavar o rei quando repararam na falta do dedo. Um ser defeituoso não servia para os deuses. Explicando-lhe a razão, libertaram-no. O rei ficou felicíssimo e, enquanto corria para o palácio, pensava na injustiça que cometera com o vizir. Pensava: “O que eu fiz não tem perdão. Tenho que o libertar imediatamente!” Foi pessoalmente à masmorra pedir-lhe perdão e contou-lhe o sucedido. O vizir ouviu atentamente e retorquiu:” Mas, Vossa Alteza, se calhar isso aconteceu para o meu bem” O rei não entendeu a calma e o desapego do vizir: “Como é possível pensares que foi para o teu bem? Que bem é que pode advir de uma prisão escura e húmida?” Serenamente o vizir respondeu: “Se Vossa Alteza não me tivesse mandado prender, eu teria ido consigo à caçada! Teria sido morto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:44


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D


Links

  •